< Strigiformes | Características gerais >
Introdução
 
 

As aves de rapina despertam a admiração do homem desde tempos remotos. São aves emblemáticas, frequentemente representadas em brasões de famílias nobres, reinos antigos, cidades e bandeiras de países modernos. Muitas espécies de águias, falcões e corujas possuem vários papéis simbólicos na cultura de diferentes povos, representando atributos como a força, coragem, independência, sabedoria e filosofia.

São encontradas em praticamente todos os continentes e nos mais variados hábitats, desde as matas tropicais, savanas até nas montanhas mais elevadas. A variedade de formas e hábitos é impressionante, havendo representantes com pouco mais de 50 g, como é o caso do caburé-miudinho (Glaucidium minutissimum) até espécies possantes com mais de 9 kg, como a harpia (Harpia harpyja).


O que são aves de rapina?

As 'aves de rapina’ ou rapinantes’ são aves carnívoras que compartilham determinadas adaptações para a caça ativa, como o bico curvo e afiado, garras fortes, voo poderoso, além de uma excelente visão e audição. A palavra “rapina” tem sua origem no latim que significa “raptar” (aquela que pega e leva consigo), referindo-se simplesmente à forma de obtenção do alimento de algumas espécies.

Apesar das várias características compartilhadas, as aves de rapina não formam um grupo monofilético, pois agrupa aves de linhagens evolutivas diferentes. São formadas pelas ordens Accipitriformes (águias, gaviões e abutres), Cathartiformes (urubus e condores), Falconiformes (falcões e caracarás) e Strigiformes (corujas).

Os urubus, embora não apresentem todas as características de um rapinante, são classificados pela maioria dos especialistas como aves de rapina.
                          
Número de espécies

Com base nos dados existentes, existem pouco mais de 550 espécies de rapinantes no mundo, 340 só de espécies diurnas (gaviões, falcões e águias) e 212 só de corujas. Não há um número exato do total de espécies do mundo, pois alguns táxons são considerados espécies por alguns autores enquanto outros os classificam como subespécies.

Segundo o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO 2015), existem 99 espécies de aves de rapina no Brasil, sendo 49 da Ordem Accipitriformes, 21 de Falconiformes, 23 Strigiformes e 6 Cathartiformes (urubus) e, aliado aos outros países da região neotropical, concentra o maior número de espécies de rapinantes do mundo.

 



:: Página atualizada por: Willian Menq em Abr/2018. ::

 



 

Aves de rapina

Introdução
Características gerais
Importância das aves de rapina
Grupos básicos
Ordem Accipitriformes
Ordem Falconiformes
Ordem Cathartiformes
Ordem Strigiformes