>AVES DE RAPINA >ESPÉCIES> FALCÃO PEREGRINO
Falcão Peregrino
Falco peregrinus
Alimentação e comportamentos de caça

Quando caça em voo picado em altas velocidades, a violência do impacto é de tal ordem, que muitas das aves deste modo abatidas apresentam geralmente asas partidas, contusões múltiplas, ou cortes profundos e mais ou menos extensos infringidos pelas garras do falcão em pontos vitais. São mesmo conhecidos casos em que a infeliz presa é decapitada em vôo, o que diz bem do poder deste excepcional predador (Ferguson-Lees e Christie, 2001; Sick, 1997).

Segundo Drummond (2010), os falcões peregrinos que adotam área urbana têm duas tendências na dieta:
Generalistas: predam aves pequenas e não necessariamente pombos, podendo consumir algumas aves de porte médio, embora sem padrão tão seletivo na dieta nem forma de uso da área para caça.
Especialistas: tendem a adotar áreas que respondam mais diretamente à sua dieta, como presença maior das aves preferidas, maior vantagem na presença ou configuração dos poleiros em relação a essas aves, etc. No Brasil os peregrinos mais especialistas são os que direcionam a dieta principalmente em relação à predação dos pombos. Há também falcões especializados em predar, por exemplo, aves marinhas, como andorinhas-do-mar, gaivotas, etc. Nesse caso, o falcão sempre vai adotar áreas costeiras.

Um indivíduo acompanhado em Salvador era altamente especializado em predar pombo-doméstico (Columba livia). Todo o padrão deatividade e adoção de pontos e estratégias de caça, rotatividade de usos de pontos de caça era voltado para a captura dos pombos. Dessa forma, 90% das presas desse indivíduo são C. livia. O restante eram aves capturadas em momentos oportunistas de abordagem, como por andorinhas, rolinhas fogo-pagou, pardais e morcegos. Outro indivíduo estudado ao longo de alguns anos em Salvador possuía outro padrão de seletividade de caça, não tinha preferência por C. livia, possuía um cardápio mais variado, com vários representantes de Cuculidae, Tyrannidae, Columbidae, Rallidae, Emberizidae, morcegos e insetos (Drummond 2010).

 

> Fechar Janela <