INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > FALCÃO-TANATAU  

Tanatau
Micrastur mirandollei (Schlegel, 1862)

Ordem: Falconiformes
Família: Falconidae
Grupo:
Falcões-florestais

Nome em inglês:
Slaty-backed Forest-falcon
Habitat:
Florestas
Alimentação:
Aves, lagartos e insetos


Distribuição no Brasil:



Status:(LC) Baixo risco

Highslide JS
Indivíduo adulto. Reserva Indígena Kèköldi, Talamanca, Costa Rica. Setembro de 2009. Foto: Dan Cushing

Vocalização típica (A) - (gravado por: Alexandre Renaudier)

• Descrição: Mede de 40-45 cm de comprimento, peso de 420 g (macho) e 500-556 g (fêmea) (Bierregaard & Boesman, 2013). Adulto possuí nuca, dorso e cauda cinza-escuro; partes inferiores brancas; cera, bico e tarsos amarelos e íris escura; cauda com três faixas brancas. O jovem apresenta dorso e cabeça marrom escuro, com partes inferiores creme e peito marrom estriado. Conhecido também como falcão-mateiro-cinza.

• Alimentação: Alimenta-se principalmente de aves, e em menor frequência lagartixas e cobras (Sigrist, 2009). Caça a partir de poleiros, capturando as presas em voo rápido. Pode vocalizar com frequência em poleiro baixo para atrair pássaros em seus domínios (Sick, 1997).

• Reprodução: Biologia reprodutiva desconhecida. Provavelmente nidifica em cavidades de árvores como os outros falcões-florestais.

• Distribuição Geográfica: Ocorre no Panamá, Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru, norte do Brasil (Bierregaard & Boesman 2013), além de uma população disjunta na Mata Atlântica do leste do Brasil (norte do Espírito Santo e sul da Bahia) (Sick 1997).

• Hábitos/Informações Gerais: Estritamente florestal, discreto e de difícil observação. Vive no alto da copas da floresta como uma forma de evitar competição com outros falcões-florestais do sub-bosque (Sick, 1997; Haeming, 2005).

Devido à perda de habitat, a raridade natural e comportamento discreto, o M. mirandollei permaneceu algumas décadas sem registros na Mata Atlântica, foi recentemente redescoberto no bioma por um grupo de observadores de aves (Wagner Coppede, Susana Coppede e Justiniano Magnago) na Reserva Natural Vale, em Linhares/ES (Coppede 2016).

Provavelmente a população de M. mirandollei da Mata Atlântica está seriamente ameaçada de extinção, confinada nos poucos remanescentes florestais preservados do Espírito Santo e Bahia, que formam verdadeiras “ilhas de biodiversidade”, refúgios de toda a fauna e flora da região (obs. pess. W. Menq).



Indivíduo adulto. Torre do observação RPPN Cristalino - Alta Floresta/MT . Junho de 2009.
Foto:
Rudimar Cipriani
Highslide JS
Indivíduo Jovem. Estrada Pipeline, Parque Nacional de Soberanía, Panamá. Janeiro de 2011.
Foto: Christian Gernez


:: Página editada por: Willian Menq em Out/2016. ::


• Referências:

Bierregaard, R.O., Jr & Boesman, P. (2013). Lined Forest-falcon (Micrastur gilvicollis). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.) (2013). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona.

Coppede, W. (2016). [WA2306124, Micrastur mirandollei (Schlegel, 1862)]. Wiki Aves - A Enciclopédia das Aves do Brasil. 
Disponível em: <http://www.wikiaves.com/2306124> Acesso em: 06 Out 2016.

Haeming PD (2005). Gaviões Simpátricos do Gênero Micrastur - ECOLOGIA.INFO. Disponivel: <http://www.ecologia.info/micrastur.htm> Acesso em Março de 2010.

Menq, W. (2016) Aves de rapina da Mata Atlântica - Aves de rapina Brasil (publicações online). Disponível em: <http://www.avesderapinabrasil.com/arquivo/artigos/avesderapina_mataatlantica.pdf> Acesso em setembro de 2016.

Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro. Nova Fronteira.

Sigrist, T. (2009) Guia de Campo. Avis Brasilis.

• Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Tanatau (Micrastur mirandollei) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/micrastur_mirandollei.htm > Acesso em: