INICIO > INFORMAÇÕES GERAIS > DESFAZENDO MITOS  

Desfazendo Mitos


 

Texto de: Willian Menq
Publicado em: 15 de Janeiro de 2015.

Antigas crendices, preconceitos e a falta de informação, contribuiu significativamente para que uma parcela da população não simpatizem com as nossas aves de rapina. Com isso, são frequentemente caçadas e perseguidas. Poucos sabem a real importância dessas aves para o meio ambiente. Além de serem ótimas indicadoras da qualidade do ambiente em que vivem, elas controlam as populações de diversos animais, inclusive de roedores, aranhas, escorpiões e cobras.

 


 
 

Corujas trazem má sorte? O canto das corujas é presságio de morte?

Não e não! Muito pelo contrário, a presença de corujas significa uma série de fatores positivos, como a presença de um ambiente preservado, equilibrado, etc. Além disso, a existência de corujas no entorno de sua propriedade traz vários benefícios, entre eles o controle da população de ratos e insetos. Através de estudos recentes sobre a dieta das corujas, sabemos que para o período de um ano, um casal de suindaras (Tyto furcata) consome entre 1720 e 3700 ratos e 2660 e 5800 insetos.

Sobre o canto, as corujas assim como outras aves, cantam para se comunicar com outras corujas. No período reprodutivo elas vocalizam com mais frequência, normalmente para defender o território do ninho ou para conquistar um(a) parceiro(a).

 
 


 
 

Vídeo da águia capturando um bebê é real?

O vídeo é
falso! A reportagem sobre o vídeo circula na internet desde 2012, e é frequente o número de pessoas que entram em contato através de mensagens e e-mails perguntando sobre a veracidade da informação. Segundo o G1, o vídeo não passa de uma montagem muito bem feita por estudantes canadenses, que, infelizmente acabaram divulgando uma péssima e errada imagem das águias e outras aves de rapina.

É importante esclarecer que águias não capturam bebês, muito pelo contrário, são os humanos que capturam, perseguem e matam filhotes dessas incríveis e injustiçadas aves..

 
 


 
 

Gaviões e águias podem atacar animais domésticos?

Ocasionalmente algumas espécies de aves de rapina podem atacar aves de gaiola ou pequenos mamíferos. Por isso, deve-se manter os animais de estimação em recintos adequados e protegidos. Para as pessoas que ainda possuem aves em gaiola, as mesmas devem ser mantidas próximas a janelas, portas da casa ou outros locais movimentados.

 
 


 
 

Aves de rapina atacam pessoas?

Não, as aves de rapina são ariscas e preferem manter distância dos seres humanos. A maioria das espécies têmem a nossa presença (por motivos óbvios). A única situação que as deixam agressivas é quando aproximamos de ninhos ou filhotes, e como bons pais, defendem seus filhotes a qualquer custo, principalmente através de voos rasantes. Por isso, não se aproxime de ninhos nem de filhotes.

 
 


 
 

Lenda da águia - As águias quando ficam velhas, voam alto e tem que arrancar o próprio bico e garras para se renovarem? É verdade ou mito?

A história é
falsa. É comum receber em nossas caixas de e-mails, mensagens do facebook a famosa "história de renovação da águia", na qual conta que as águias quando ficam velhas, voam para o alto de uma montanha e tomam a decisão de arrancar o próprio bico, penas e garras para se renovar e viver por mais algumas décadas. É uma linda história de motivação e perseverança, porém, é FALSA!!!

As águias bem como qualquer outra ave de rapina não se automutilam em situações normais, não podem podem perder o bico e as garras a menos que sofram um processo traumático. A automutilação só aparece como condição patológica, como situações de estresse, doenças de pele, etc. Quando elas são vistas "bicando" pedras, estão fazendo isso para manter estas estruturas afiadas.

Na verdade tanto o bico quanto as unhas das águias (e de outras aves) vão se desgastando com o uso, por isso, são renovadas continuamente (e não drasticamente como diz a lenda). O mesmo processo ocorre com as penas, que caem e são substituidas por outras. Mas essa substituição não ocorre de uma só vez, o que impediria a ave de voar, e sim sincronizadamente.

As águias também não podem ficar sem comer por dezenas de dias; elas também não vivem por 70 anos, as maiores espécies vivem em média 30 anos, podendo chegar até 40 anos em cativeiro.