INICIO > O SITE AVES DE RAPINA BR
 


"As aves de rapina sempre chamaram a atenção do homem. Um falcão mergulhando no céu como uma flecha, uma águia planando, uma coruja piando, são espetáculos de tirar o fôlego".

• O Site
O site Aves de Rapina Brasil (sigla ARB) esta no ar desde junho de 2007,
não é afiliado a nenhuma instituição ou organização, foi criado e é mantido por Willian_Menq. É um site de divulgação científica, traz informações da biologia, distribuição das espécies que ocorrem no Brasil, bem como imagens, sons, artigos e etc.

Atualmente, é a maior fonte online de informações sobre as aves de rapina do Brasil, citada em trabalhos acadêmicos, revistas, jornais e materiais didáticos de instituições de ensino.

A divulgação científica é uma ferramenta efetiva para conscientizar o público e promover a conservação das espécies. Espera-se também que o site ARB desperte o interesse dos jovens cientistas em desenvolver pesquisas com as aves de rapina, visto a necessidade e escassez de informações que o grupo ainda possui.

• Conteúdo:
Seu conteúdo foi compilado a partir da literatura_especializada, contribuições e observações do autor. As informações disponibilizadas estão em constante revisão. A taxonomia e nomeclatura das espécies segue a versão mais atualizada do CBRO (Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos).

Todo o conteúdo das páginas está sujeito às leis internacionais de direitos autorais. Você pode usar o conteúdo (textos e arquivos PDF) em trabalhos escolares, científicos e pesquisa, educação ambiental e como material didático não-comercial, desde que seja citado o site ARB nos créditos.

• Fotografias:
A maioria das fotografias expostas são colaborações de diversos biólogos e fotógrafos que gentilmente autorizaram a publicação no site. Tais fotografias são de propriedade de seus respectivos autores, não sendo permitida a reutilização, total ou parcial, sem autorização dos mesmos. As fotografias estão protegidas por Lei_Federal_Nº_9.610 que garante os direitos autorais da imagem.

• Mapas de distribuição:
Os mapas de distribuição das espécies foram elaborados com base na literatura básica (e.g. Del Hoyo, 1994; Sick, 1997; Ferguson-Lees & Christie 2001; Koning & Weig, 2008) e registros documentados (foto/som/vídeo) disponíveis em sites sobre observação de aves e ornitologia. Devido a metodologia empregada na elaboração dos mapas, é provável que eles apresentem diferenças significativas em relação a outras fontes. Vale lembrar que alguns táxons tiveram ao longo das décadas sua distribuição geográfica alterada.