INICIO > RAPTOR-WATCHING > OBSERVAÇÃO DE CORUJAS  

Técnicas para observação de corujas
Como, quando e onde encontrar corujas?


Caburé-acanelado (Aegolius harrisii) em Meruoca/CE, Dezembro de 2013. Foto: Willian Menq

Publicação: 25/04/2016
Texto de:
Willian Menq

[Baixar em PDF]

As corujas são intrigantes, misteriosas e pouco conhecidas. Observá-las na natureza não é uma tarefa fácil, uma vez que a maioria são noturnas e florestais, mais ouvidas do que vistas.

• Quando observar

Período dia/noite: As corujas, de forma geral, possuem maior atividade nas três primeiras horas após o escurecer e pouco antes do amanhecer, sendo estes os melhores horários para observá-las. Nestes horários geralmente estão forrageando atrás de alimento ou cantando.

Período do ano: O melhor período do ano para encontrar as corujas é na época reprodutiva, que varia de acordo com a espécie e região do Brasil. Nesse período, por serem territoriais, defendem a área do ninho e filhotes contra intrusos, sendo mais ativas, o que facilita a detecção. Na região sul, sudeste e nos estados brasileiros com estações mais definidas, o período reprodutivo normalmente inicia no começo da primavera. Nas regiões mais quentes do país (norte e nordeste) elas podem se reproduzir em qualquer época, principalmente no final da estação seca.

Em outras épocas do ano as corujas também podem ser encontradas, visto que nenhuma é migratória. Porém, a detectabilidade das espécies é mais baixa, a maioria vocaliza com menor frequência.

Clima: As variáveis climáticas afetam o comportamento das corujas. Noites com muito vento, frio ou chuva, devem ser evitadas. O clima ideal são noites quentes e claras. As fases da lua parece influenciar a atividade das corujas, noites de lua cheia ou quase cheia são ideais para a observação da maioria das espécies.

• Como observar corujas

Para observar corujas é necessário equipamentos e métodos específicos. Os contatos visuais são difíceis, na maioria das vezes são mais ouvidas do que vistas.

Equipamentos

  • Roupas escuras (verde, marrom ou preto) e leves. Quando o observador está bem camuflado, as corujas costumam se aproximar mais (às vezes sobre nossas cabeças), garantindo bons minutos de observação e fotografias.
  • Binóculo, especialmente aqueles eficazes em condições de pouca luz (abertura das objetivas de 40mm, em média).
  • Lanterna, acessório indispensável para caminhar durante a noite e para encontrar corujas. Lanternas de leds são mais adequadas, são econômicas e possuem boa iluminação.
  • Câmera fotográfica e/ou gravador de áudio.
  • Aparelho de som portátil e aparelho para reprodução de vocalizações de corujas previamente carregadas (realização de playback).
  • Guia de campo para identificação das espécies.
  • Mochila para levar repelente, água, comida, pilhas e equipamentos.


Playback:
A principal técnica para conhecer as espécies de corujas de um determinado local é do “playback”. Sem o uso desta técnica seria muito difícil encontrá-las, já que a maioria são florestais e discretas. O playback consiste na reprodução da vocalização de uma determinada espécie (usando aparelho de som), esperando que a mesma responda os chamados. Geralmente as aves respondem achando que é um parceiro(a) ou um intruso invadindo seu território. Para realização desta técnica é necessário o uso de um aparelho de som, e que ele tenha potência suficiente para ser ouvido a pelo menos 40 m de distância. Caixinhas de som ligadas a Ipod ou smartphones são eficientes para realização da técnica. Existem também, aparelhos de som portáteis movidos a bateria que possuem entrada direta para pendrives e cartões de memória, ou bluetooth, com som de boa qualidade.

O observador ao ir a campo, deve escolher um ponto adequado para a realização do playback, preferencialmente em áreas no interior da mata onde a vegetação é mais densa. O tempo de reprodução de cada gravação deve ser no máximo dois minutos, sendo necessário pelo menos três minutos de espera, já que algumas corujas demoram um pouco para responder. A vocalização das espécies pode ser baixada em formato mp3 em alguns sites na internet, como no Xeno-canto ou Wikiaves. Para um melhor resultado, os sons podem ser tratados usando programas como o Audacity, onde é possível eliminar ruídos/barulhos de fundo.

O playback é muito eficiente, se houver corujas na área provavelmente elas responderam. Algumas não respondem, simplesmente se aproximam. E como possuem um voo silencioso, raramente o observador percebe sua aproximação. Por isso, é interessante após a reprodução do som, vasculhar com a lanterna as árvores do local. O observador pode iluminar com a lanterna diretamente na coruja, a luz pouco afeta essas aves.


Atenção ao uso do playback, Leia aqui algumas recomendações gerais.


Onde observar?

Matas e florestas são os melhores locais para encontrar corujas, das 22 espécies existentes no Brasil, pelo menos 17 estão associadas aos ambientes florestais. Pontos da mata com vegetação mais densa, árvores altas, com presença de troncos em pé e cavidades, é o habitat preferencial das espécies maiores, de dossel, como a murucututu (Pulsatrix perscipillata) e coruja-preta (Strix huhula). Bosques e campos com árvores esparsas, é o habitat preferido do mocho-orelhudo (Asio clamator). Corujinhas do gênero Megascops costumam ocorrer em todo o tipo de mata, inclusive as mais fragmentadas. Já o mocho-dos-banhados (Asio flammeus) é restrito a campos e banhados.



Coruja-do-mato (Strix virgata) registrada durante "corujada" no Parque Estadual Mata dos Godoy, Londrina/PR. Foto: Willian Menq

Suindara (Tyto furcata) registrada durante transeção noturna em área rural. Caraguatatuba/SP.
Foto: Willian Menq

 


• Segurança

  • Conheça a área que irá visitar durante o dia, estabeleça os pontos mais adequados para ocorrência das espécies que deseja observar.
  • É importante usar calçados confortáveis e fechados, como botas ou tênis. Bota de cano alto ou perneiras é uma boa proteção contra picadas de cobras ou carrapatos.
  • Leve baterias/pilhas reservas para a Lanterna.
  • Avise alguém onde você está indo e quando irá retornar.
  • Leve celular com bateria carregada.
  • Leve um casaco ou uma blusa, pois mesmo no verão as noites na floresta costumam ser mais frias.
  • Durma ou descanse antes de ir a campo.
  • Não dirija cansando.
  • Quando visitar áreas privadas, peça autorização aos proprietários.
  • Para evitar surpresas, consulte a previsão do tempo.
  • Usar repelente é fundamental, ele auxilia na proteção contra mosquitos que podem transmitir doenças como a dengue, malária e leishmaniose.


Use este site para conhecer mais sobre o comportamento e hábitos das corujas, neste link é possível acessar a ficha de todas as espécies do Brasil. Visite também outros sites e fóruns sobre observação de aves e ornitologia, onde é possível tirar dúvidas e compartilhar informações.

 


:: Página editada por: Willian Menq em Abr/2016. ::