< Gavião-pega-macaco | Gavião-de-penacho >  
 

Gavião-pato Spizaetus melanoleucus (Vieillot, 1816)
Ordem: Accipitriformes | Família: Accipitridae | Monotípica


Indivíduo adulto. Figueirópolis/TO. Foto: Willian Menq

Águia florestal poderoda e pouco conhecida. Ocorre em grande parte do Brasil, pode ser encontrada em florestas, borda de matas e cerradões; costuma planar alto nas horas mais quentes da manhã. É especialista na captura de aves, caça desde tucanos, papagaios, maitacas até urus. Também chamada de apacanim e apacanim-branco.


Descrição:
Mede de 51-61 cm de comprimento, peso de 750-850 g (Márquez et al. 2005; Bierregaard et al. 2013). Adulto apresenta o dorso preto, partes inferiores, cabeça e pescoço branco, além da cauda barrada. Destaca-se uma notável máscara preta que contrasta com a íris amarelo-brilhante, além de um pequeno topete negro em forma de coroa. Indivíduo jovem é parecido com o adulto, com topete e máscara com pequenos pontilhados brancos. Assim como os outros rapinantes do gênero Spizaetus, seus tarsos são completamente emplumados, característica que serve para diferenciá-lo de outros rapinantes de aparência similar.

Dieta e comportamento de caça: Alimenta-se principalmente de aves de tamanhos variados, desde tucanos, papagaios, periquitos, maitacas até urus. Também captura, com menor frequência, répteis, anfíbios e pequenos mamíferos. Brown & Amadon (1989) relatam ataques contra o pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) e biguá (Phalacrocorax brasilianus). Costuma procurar suas presas sobrevoando florestas e áreas descampadas, executando mergulhos na copa das árvores ou próximo ao solo para capturar suas presas. Também procura presas espreitando a partir de um poleiro camuflado.

Na Guiana Francesa, Thiollay (2007) relatou ataques frequentes do S. melanoleucus contra aves em árvores frutíferas. No Paraná, Menq (2015) relatou a captura de pequenos mamíferos em áreas semiabertas. O mesmo autor também observou a espécie forrageando sobre o dossel da mata, executando mergulhos, provavelmente na tentativa de capturar presas (Menq 2015).

Reprodução: Constrói o ninho com gravetos e ramos secos no alto de árvores emergentes; os ninhos são grandes, podendo chegar até 1 m de diâmetro. Os filhotes ficam dependentes dos pais por mais de um ano, não se afastando do ninho durante este período (Phillips & Seminario, 2009).

Distribuição Geográfica: Ocorre desde o México até Argentina, incluindo todo o Brasil (exceto região nordeste e pampas gaúchos).

Habitat e comportamento: Habita uma variedade de ambientes florestais, desde florestas densas, capoeiras, matas de galeria e porções mais arbóreas do cerrado. Prefere áreas semiabertas com mosaicos de florestas altas e campos ou cerrados para forragear. Vive solitário ou em pares, costuma voar alto planando por longas horas, especialmente nas horas mais quentes da manhã (entre 9 e 12 h), podendo passar despercebido por um observador (Menq & Delariva 2015).



Indivíduo adulto. Figueirópolis/TO. Foto: Willian Menq

Movimentos: Espécie residente.

Conservação: Segundo a Birlife Internacional (2009), não encontra-se globalmente ameaçado, com população global estimada em 10.000 a 100.000 indivíduos. No Brasil encontra-se ameaçado de extinção na maioria dos estados sob domínio da Mata Atlântica, devido a desfragmentação e descaracterização do hábitat (Mikich & Bernils, 2004; ICMBio, 2008).

 

:: Página editada por: Willian Menq em Fev/2018. ::

 


Referências:

Bierregaard, R.O., Jr, Sharpe, C.J. & Boesman, P. (2013). Black-and-white Hawk-eagle (Spizaetus melanoleucus). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.) (2013). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from http://www.hbw.com/node/53172 on 7 May 2015).

Canuto, M.; Zorzin, G.; Carvalho-Filho, E. P. M.; Carvalho, C. E. A.; Carvalho, G. D. M. & C. E. R. T. Benfica (2012) Conservation, management and expansion of protected and non-protected tropical forest remnants through population density estimation, ecology, and natural history of top predtors; case studies in birds of prey (Spizaetus taxon). pp. 359-388 in Dr. P. Sudarshana (ed.), Tropical Forests. InTech.

Canuto, M. (2008). First description of the nest of the Black-and-white hawk eagle (Spizaetus melanoleucus) in the Brazilian Atlantic Rainforest, southeast Brazil. Neotropical Ornithology 19: 607-610.

Ferguson-Lees, J. e D. A. Christie (2001) Raptors of the World. New York: Houghton Mifflin Company.

Márquez, C., Gast, F., Vanegas, V. & M. Bechard. (2005) Aves Rapaces Diurnas de Colombia. Bogotá: Instituto de Investigación de Recursos Biológicos Alexander von Humboldt. 394 p.

Menq, W. (2015). Observações comportamentais do gavião-pato Spizaetus melanoleucus (Accipitriformes, Accipitridae) no Estado do Paraná, Brasil. Arquivos de Ciencias Veterinárias e Zoologia da UNIPAR. 18(3): 175-178.

Menq, W., & Delariva, R. (2015). Aves de rapina (Cathartiformes, Accipitriformes, Strigiformes e Falconiformes) na Reserva Biológica das Perobas, Paraná, Brasil, e seu entorno. Biotemas. v. 28(4): 145-154.

Phillips. R.; Seminario, Y. (2009) Caracterização da idade em Spizaetus melanoleucus: Primeira documentação fotográfica. Neotropical Raptor Network (NRN). Boletim #8. Dez.

Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Nova Fronteira. RJ.

Thiollay, J.-M. 2007. Raptor communities in French Guiana: distribution, habitat selection, and conservation. Journal of Raptor Research 41:90-105.


Site associado:
Global Raptor Information Network

 

 

Citação recomendada:

Menq, W. (2019) Gavião-pato (Spizaetus melanoleucus) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/spizaetus_melanoleucus.htm > Acesso em: .




 
 

Distribuição Geográfica:

Status: (LC) Baixo risco

Canto - (gravado por: Willian Menq)
By: xeno-canto.




Indivíduo adulto.
Camacan/BA, Nov. de 2013.
Foto:
Pedro Ávila
 

Indivíduo adulto.
Laranja da Terra/ES, Set. 2016.
Foto:
Hudson Martins
 

Indivíduo jovem.
Derrubadas/RS, Fev. 2015.
Foto:
Dante Meller
 

Indivíduo adulto.
Caraguatatuba/SP, Jun 2015.
Foto: Willian Menq
 

Casal adulto no ninho.
Laranja da Terra/ES, Jul. 2016.
Foto:
Gustavo Magnago
 

Indivíduo predando uma ave.
Puerto Maldonado/Peru. Mai. 2009.
Foto:
Grace Montalvan N.
 

Indivíduo adulto.
Porangatu/GO, Nov de 2017.
Foto: Julian Stocker
 

Indivíduo adulto.
Laranja da Terra/ES, Ago. 2016.
Foto: Mel Simas
 

Tentativa de caça contra um bando
de Aratinga aurea. Itacaré/BA.
Foto:
Leonardo Patrial
 

Indivíduo adulto.
Vitória do Xingu/PA, Ago. 2015.
Foto:
Fernanda dos Santos