INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > CARANGUEJEIRO  

Caranguejeiro
Buteogallus aequinoctialis (Gmelin, 1788)

Ordem: Accipitriformes
Família: Accipitridae
Grupo:
Gaviões-planadores

Nome em inglês: Rufous Crab-hawk
Habitat:
Manguezais e pântanos
Alimentação:
Crustáceos



Distribuição no Brasil:



Status: (NT) Quase ameaçado


Indivíduo adulto. Soure/PA, Agosto de 2007.
Foto
Luciano Lima

Vocalização de chamado (B) - (gravado por: Nick Athanas)

Esta espécie possui ocorrência limitada aos manguezais, onde alimenta-se exclusivamente de caranguejos (razão do seu nome popular). Além dos manguezais, pode ser encontrado em pântanos e bordas de rios, mas sempre próximo do litoral, podendo ser observado planando a grande altura.

• Descrição: Mede de 42 a 46 cm, com peso médio de 590 g (macho) e 796 g (fêmea) (Del Hoyo et al. 1994). Adulto apresenta cabeça, pescoço e dorso marrom-escuro, asas com as primárias ferrugíneas e as extremidades e bordas pretas; partes inferiores marrom-ferrugíneo barrado de preto; cauda preta com borda branca e estreita faixa mediana branca; íris castanha, cera e tarsos amarelos. O jovem apresenta dorso marrom com partes inferiores creme com estrias marrom.

• Alimentação: Alimenta-se exclusivamente de caranguejos. Caça a partir de poleiros, de onde “mergulha” sobre a presa e a leva para um lugar seco (Fergunson-Lees & Christie, 2001).

• Reprodução: Durante o período pré-nupcial, o casal costuma realizar diversas acrobacias aéreas, com perseguições, voos circulares e mergulhos. Neste período também emitem assobios altos e melodiosos e vocalizações que se assemelham a uma risada. No ninho, construído com gravetos e folhas, coloca um único ovo (Mikich e Bérnils, 2004).

• Distribuição geográfica: Ocorre da Venezuela e Guianas se distribuindo pelo litoral brasileiro da foz do Oiapoque até os estados de São Paulo e Paraná (Del Hoyo et al. 1994; Mikich e Bérnils, 2004).

• Status nas listas vermelhas estaduais:

  Paraná: Em Perigo (Mikich & Bérnils, 2004).
  São Paulo: Criticamente em perigo (Silveira et al., 2009).

• Hábitos/Informações gerais: Habita os manguezais, pântanos e bordas de rios, podendo ser observado planando a grande altura (Sick, 1997). Solitário, às vezes observado em casais.

Está presente na lista nacional de espécies ameaçadas como "quase ameaçado" (ICMBio 2014). Pelo fato de ser restrito à região litorânea, as causas de seu declínio devem ser remetidas às ameaças atribuídas a esse ambiente como um todo e às demais espécies que ali ocorrem. Ressalta-se que esta espécie mostra uma nítida restrição alimentar a certos crustáceos, os quais têm sofrido reduções consideráveis dos estoques populacionais em decorrência da redução das áreas de manguezais, da poluição e da captura predatória para a comercialização (Mikich e Bérnils, 2004). A proteção dos manguezais e das desembocaduras de rios da região litorânea são medidas emergenciais para proteção dessa ave e das outras que dependem do mesmo habitat (Mikich e Bérnils, 2004).



Indivíduo jovem. Salinópolis/PA, Maio de 2011.
Foto
Alexander Lees

Casal adulto. Apicum-Açu/MA,
Março de 2012.
Foto: Thiago Rodrigues

Indivíduo adulto em voo. Bragança/PA, Dezembro de 2010. Foto: Alex Mesquita

 

:: Página editada por: Willian Menq em Fev/2016. ::

• Referências:

Bierregart-Jr, R. O. The biology and conservation status of Central and South American Falconiformes: a survey of current knowledge. Bird Conservation International, v. 5, p. 325-340, 1995.

Del Hoyo, .J., Elliot, A. E Sargatal, J. Handbook of the birds of the world (2 v). Bird Life International Lynx Editions, 1994. 638p.

Ferguson-Lees, J. e D. A. Christie (2001) Raptors of the World. New York: Houghton Mifflin Company.

ICMBio (2014) Lista das espécies terrestres e mamíferos aquáticos ameaçados de extinção do Brasil. Portaria MMA nº 444, de 17 de dezembro de 2014. Disponível em: < http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/biodiversidade/fauna-brasileira/avaliacao-do-risco/PORTARIA_N%C2%BA_444_DE_17_DE_DEZEMBRO_DE_2014.pdf > Acesso em Maio 2015.

Mikich, S.B. & R.S. Bérnils. 2004. Livro Vermelho da Fauna Ameaçada no Estado do Paraná. Disponível em: > http://www.pr.gov.br/iap Acessado em: 27 mar 2010.

Sick, H.1997. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro. Nova Fronteira.

• Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Caranguejeiro (Buteogallus aequinoctialis) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/buteogallus_aequinoctialis.htm > Acesso em: