< Falcão-relógio | Peneireiro-de-dorso-malhado >  
 

Falcão-de-buckley Micrastur buckleyi (Swann, 1919)
Ordem: Falconiformes | Família: Falconidae | Monotípica


Indivíduo adulto. Foto: Joe Tobias

É uma das espécies mais desconhecidas e elusivas do gênero Micrastur, detectada geralmente por vocalizações em respostas à playback. De distribuição restrita e endêmico da floresta amazônica, é encontrado apenas no Estado do Acre, além do Equador e Peru.


Descrição:
Mede de 41-51 cm de comprimento (Bierregaard & Boesman, 2013). Adulto apresenta o dorso preto com partes inferiores branco-creme, cabeça e colar nucal preto, com uma faixa de mesma cor estreita que se estende até abaixo dos olhos; íris escura e cauda com quatro faixas brancas.

Espécies similares: É muito parecido com o falcão-relógio (Micrastur semitorquatus), se diferencia no tamanho (um pouco menor) e na vocalização distinta.

Dieta e comportamento de caça: Dieta pouco desconhecida. Possivelmente caça pequenos vertebrados como roedores, lagartos e aves, além de insetos. Um registro de etiqueta de museu, relata a predação de um roedor arborícola (Mesomys) (Bierregaard & Boesman, 2013). Pode seguir formigas-de-correição para capturar presas espantadas e/ou atraídas por elas.

Reprodução: Nidifica em cavidades no alto de árvores igual aos outros membros do gênero. Valdez (2007) monitorou as atividades reprodutivas de um casal por dois anos consecutivos no sudeste do Peru. Uma cavidade localizada a 27 m do solo de um galho quebrado da árvore pau-mulato (Calycophyllum spruceanum) foi usado como ninho. Cada postura consistia em dois ovos castanhos-avermelhados, colocados em novembro, sendo a fêmea responsável pela incubação e o macho pelo fornecimento de alimento e patrulhamento do ninho.

Distribuição Geográfica: Ocorre no Equador e Peru, no extremo sudoeste da amazônia brasileira (Acre), além de um registro único no sudeste da Colômbia.

Habitat e comportamento: Habita o interior de florestas úmidas, especialmente as de terras baixas, mas há registros a 1.800 m do nível do mar na Cordilheira Cutucú, Equador. No Brasil, conta com registros apenas na região do alto rio Juruá, no Acre (Whittaker 2001). Como em outras espécies do gênero Micrastur, é parcialmente crepuscular e canta frequentemente antes do amanhecer e ao entardecer. É uma das espécies mais desconhecidas e elusivas do gênero Micrastur, detectada geralmente por vocalizações em respostas à playback. Possivelmente seja subamostrado ou confundido em campo.

Movimentos: Espécie residente.

 

 

:: Página editada por: Willian Menq em Abr/2018. ::

 


Referências:

Bierregaard, R.O., Jr & Boesman, P. (2013). Buckley's Forest-falcon (Micrastur buckleyi). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.) (2013). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona.

Valdez, U. (2007) Nest description and nesting biology of Buckley's Forest-falcon (Micrastur buckleyi) in southeastern Peru. Pp. 353-354 in K.L. Bildstein, D.R. Barber, and A. Zimmerman (eds.), Neotropical ornithology. Hawk Mountain Sanctuary, Orwigsburg, PA.

Whittaker, A. (2001) Notes on the poorly-known Buckley's Forest-falcon Micrastur buckleyi including voice, range and first Brazilian records. Bulletin of the British Ornithologists' Club 121:198-208.

Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

 

Citação recomendada:

Menq, W. (2018) Falcão-de-buckley (Micrastur buckleyi) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/micrastur_buckleyi.htm > Acesso em: .



 
 

Distribuição Geográfica:

Status: (LC) Baixo risco

Canto - (gravado por: Nick Athanas)
By: Xeno-canto