INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > GAVIÃO-POMBO-PEQUENO  

Gavião-pombo-pequeno
Amadonastur lacernulatus (Temminck, 1827)

Ordem: Accipitriformes
Família: Accipitridae
Grupo:
Gaviões-planadores

Nome em inglês: White-necked Hawk
Habitat:
Florestas
Alimentação:
Invertebrados

Distribuição no Brasil:



Status: (VU) Vulnerável
Endêmico da Mata Atlântica


Indivíduo adulto. Caraguatatuba/SP, Novembro de 2014.
Foto: Willian Menq

Rapinante exclusivo da Mata Atlântica, frequentemente registrado na Serra do Mar e regiões próximas do litoral. Costuma planar sobre a floresta nas horas mais quentes da manhã, sendo mais raro que o gavião-pombo-grande (P. polionotus) em boa parte de sua distribuição. Também conhecido como gavião-pomba.

• Descrição: Mede de 42-49 cm de comprimento, com envergadura de até 96 cm. Apresenta a cabeça, nuca e partes inferiores brancas, enquanto o dorso e as asas são pretas. A cauda é branca com base e faixa terminal preta. É muito parecido com o gavião-pombo-grande (Pseudastur polionotus), diferenciando-se principalmente pelo padrão da cauda (Mikich & Bérnils. 2004; Sick, 1997).

• Alimentação: Alimenta-se principalmente de invertebrados, como insetos, aranhas e gastrópodes. Em menor frequência pode capturar cobras, lagartixas, roedores, pequenos mamíferos e aves (Garske & Andrade, 2004; Mikich & Bérnils. 2004; Sick, 1997). Normalmente caça presas no solo, pode associar-se a bandos mistos de aves que seguem formigas-de-correição, bandos de quatis ou macacos para capturar animais espantados por eles (Sick, 1997; Carvalho et al. 2009). Também há registros de indivíduos seguindo tratores, na tentativa de capturar animais que são afugentados por estes (Mikich & Bérnils,2004; Sick, 1997).

Na região da Ilha do Cardoso, litoral sul do Estado de São Paulo, este gavião tem sido observado se alimentando com frequência do gastrópode terrestre (Megalobulinus paranaguensis). Garske & Andrade (2004) em uma pesquisa realizada no litoral sul do Rio de Janeiro, relataram o ataques oportunistas contra tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) e sabiá-coleira (Turdus albicollis) que estavam presos em redes ornitológicas.


Indivíduo adulto. Caraguatatuba/SP, Novembro 2016.
Foto: Willian Menq

Individuo adulto. Porto Belo/SC, Julho de 2009.
Foto: Macmaclarenpb

• Reprodução: Biologia reprodutiva desconhecida.

• Distribuição geográfica: Ocorre na Floresta Atlântica do Brasil oriental, da Bahia até Santa Catarina (Sick 1997; Mikich & Bérnils, 2004; ICMBio 2014).

• Status nas listas vermelhas estaduais:

  Paraná: EN - Em perigo (Mikich & Bérnils, 2004).
  São Paulo: VU - Vulnerável (Silveira et al., 2009).
  Minas Gerais: CR - Criticamente em Perigo (Copam 2010).
  Rio de Janeiro: VU - Vulnerável (Alves, et al. 2000).
  Santa Catarina: Vulnerável (Consema 2011).

• Hábitos/Informações gerais: É endêmico da Mata Atlântica (Menq 2016). Habita os trechos que acompanham a costa brasileira, especialmente a Floresta Ombrófila Densa, desde o nível do mar até 900 m, há registros em Minas Gerais em altitudes superiores a 2.800 m (Mikich & Bérnils. 2004). Há alguns registros da espécie em parques inseridos em áreas urbanas, como já visto em São Paulo/SP e em Blumenau/SC (Garske & Andrade, 2004).

• Conservação: Dentre as ameaças, a descaracterização e redução do seu hábitat em função de desmatamentos, é uma das principais causas de seu desaparecimento, haja vista a sua grande dependência de ambientes primários ou pouco modificados (Mikich & Bérnils, 2004). Segundo Bierregaard-Júnior (1995) a população de uma forma geral está em declínio. Segundo ICMBIO (2014) o tamanho total estimado da população não ultrapassa 10.000 indivíduos maduros.



Indivíduo adulto. Rio de Janeiro/RJ, Março de 2007.
Foto: Ruy Salaverry

Indivíduo adulto. Ubatuba/SP, jul 2009.
Foto:
Ivan Sazima

 

:: Página editada por: Willian Menq em Mai/2016. ::



• Referências:

Almeida, A. C. C.; Teixeira, D. M. (1995) Lista preliminar das aves da Reserva Biológica Guaribas
(Mamanguape,PB). In: LANGGUTH, A. (Ed.). Plano de ação emergencial da Reserva Biológica
Guaribas. Brasília: ICMBio; MMA. p. 49-53.

Alves, M. A. dos S., J. F. Pacheco, L. A. P. Gonzaga, R. B. Cavalcanti, M. A. Raposo, C. Yamashita, N. C. Maciel & M. Castanheira (2000) Aves, 113-124 In: H. de G. Bergallo, C. F. D. da Rocha, M. A. dos S. Alves e M. Van Sluys (orgs.) A fauna ameaçada de extinção do estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Bierregaard-Jr, R. O. (1995) The biology and conservation status of Central and South American Falconiformes: a survey of current knowledge. Bird Conservation International, v. 5, p. 325-340.

Carvalho-Filho, E. P. M; Zorzin, G.; Canuto, M.; Carvalho, C. E. A. & Carvalho, G. D. M. (2009). Aves de rapina diurnas do Parque Estadual do Rio Doce, Minas Gerais, Brasil. MG BIOTA, Belo Horizonte, 1(5): 4-43.

CBRO - Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (2011) Listas das aves do Brasil. 10 ª Edição, 25/01/2011, Disponível em <http://www.cbro.org.br>. Acesso em: Janeiro de 2011.

Copam (2010) Deliberação Normativa COPAM nº 147, de 30 de abril de 2010: Aprova a Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção da Fauna do Estado de Minas Gerais. Minas Gerais (Diário do Executivo), 04 Maio 2010.

Conselho Estadual do Meio Ambiente (CONSEMA) (2011) Resolução   nº02/2011—Reconhece a lista oficial de espécies da fauna ameaçadas de extinção no Estado de Santa Catarina e dá outras providências. Florianópolis: CONSEMA/ SDS.

Garske, C. E. S.; Andrade, V. A. (2004) Observações e capturas de Leucopternis lacernulata (Accipitridae) na Ilha da Marambaia, litoral sul do estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ararajuba 12 (1) notas.

ICMBio, (2008). Plano de ação nacional para a conservação de aves de rapina / Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Coordenação-Geral de Espécies Ameaçadas. – Brasília

ICMBio (2014) Aves - Amadonastur lacernulatusi (Temminck 1827) - gavião-pombo-pequeno. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/lista-de-especies/5529-especie-5529.html> Acesso em Maio 2015.

Ignis (2008) Lista das espécies da fauna ameaçadas de extinção em Santa Catarina. Disponível em: < www. http://ignis.org.br/lista > Acesso em Agosto de 2011.

Menq, W. (2016) Aves de rapina da Mata Atlântica - Aves de rapina Brasil (publicações online). Disponível em: <http://www.avesderapinabrasil.com/arquivo/artigos/avesderapina_mataatlantica.pdf> Acesso em setembro de 2016.

Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro. Editora Nova Fronteira.

Silveira, L.F.; Benedicto, G.A.; Schunck, F. & Sugieda, A.M. (2009) Aves. In: Bressan, P.M.; Kierulff, M.C. & Sugieda, A.M. (Orgs), Fauna ameaçada de extinção no Estado de São Paulo: Vertebrados. São Paulo, Fundação Parque Zoológico de São Paulo e Secretaria do Meio Ambiente.

Mikich, S.B. & R.S. Bérnils (2004) Livro Vermelho da Fauna Ameaçada no Estado do Paraná. Disponível em: > http://www.pr.gov.br/iap

• Site associado: Global Raptor Information Network (em inglês)

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Gavião-pombo-pequeno (Amadonastur lacernulatus) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/leucopternis_lacernulatus.htm > Acesso em: