INICIO > ESPÉCIES DO BRASIL > CORUJA-LISTRADA  

Coruja-listrada
Strix hylophila (Temminck, 1825)

Ordem: Strigiformes
Família: Strigidae
Nome em inglês:
Rusty-barred Owl
Habitat:
Florestas
Alimentação:
Insetos e pequenos vertebrados.

Distribuição no Brasil:



Status: (LC) Baixo risco
Endêmico da Mata Atlântica


Indivíduo adulto. Abril de 2012.
Foto: Matias H. Ternes


Vocalização típica (A) - (gravado por: Nick Athanas)

• Descrição: Mede 35 cm de comprimento e peso de 285-340 g (Holt et al. 1999). Adulto apresenta dorso castanho escuro com manchas de castanho mais claro, face cinza-amarronzado mais claro contornada de marrom, e olhos escuros. Possui partes inferiores com barrado castanho-escuro. Seu nome comum se deve a plumagem listrada.

• Alimentação: Alimenta-se principalmente de insetos, ratos, ratazanas. Ocasionalmente pode predar lagartos e pequenas aves (Sick 1997).

• Reprodução: Seu período de reprodução se inicia entre os meses de agosto e outubro, nidificando em troncos e ocos de árvores, recurso que não é muito frequente e pelo qual compete com uma série de outros animais (Sick, 1997). Tem um período de incubação de 29 dias, com os filhotes já totalmente indepentes após 4 meses.

• Distribuição Geográfica: Ocorre no sul e sudeste do Brasil (sul de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul), leste do Paraguai e nordeste da Argentina (Sick 1997).

• Hábitos/Informações Gerais: É endêmica da Mata Atlântica, frequenta o interior e a borda de mata (Sick 1997, Menq 2016). Vive no estrato médio e alto das florestas, habitando florestas primárias, secundárias, parecendo ter uma preferências pelas matas-de-araucária, onde é mais comum. Seu canto é grave, podendo passar despercebido por ouvidos menos atentos. Já a vocalização de chamado é mais aguda é bem característica, esta vocalização de chamado descrita como “ioooouuunn” é mais indicada para realização do playback.

É considerada como quase ameaçada de extinção pela International Union for Conservation of Nature and Natural Resources (IUCN 2006), devido a drástica redução dos remanescentes de Mata Atlântica (ICMBIO, 2008).


Indivíduo adulto. Campos do Jordão/SP. Junho 2009. Foto: Rodrigo dela Rosa

Indivíduo adulto. Cotia/SP, Junho de 2015.
F oto:
Rodrigo Y Castro

 

:: Página editada por: Willian Menq em Mai/2016. ::



• Referências:

Del Hoyo, J.; Elliot, A. & Sargatal, J. (1994) Handbook of the birds of the world. v. 2. Barcelona: Lynx Edicions.

Holt, D. W., R. Berkley, C. Deppe, P. L. Enríquez Rocha, J. L. Petersen, J. L. Rangel Salazar, K. P. Segars e K. L. Wood (1999) Black-banded-Owl. In: J. del Hoyo, A. Elliott e J. Sargatal (orgs.) Handbook of the birds of the world, vol. 5. Barn Owls to Hummingbirds. Barcelona: Lynx Edicions. p. 205.

ICMBio (2008). Plano de ação nacional para a conservação de aves de rapina / Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Coordenação-Geral de Espécies Ameaçadas. – Brasília: 136 p. ; il. color. : 29 cm. (Série Espécies Ameaçadas, 5).

Menq, W. (2016) Aves de rapina da Mata Atlântica - Aves de rapina Brasil (publicações online). Disponível em: <http://www.avesderapinabrasil.com/arquivo/artigos/avesderapina_mataatlantica.pdf> Acesso em setembro de 2016.

Sick, H. (1997) Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro. Ed. Nova Fronteira.

 

• Citação recomendada:

Menq, W. (2016) Coruja-listrada (Strix hylophila) - Aves de Rapina Brasil. Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/strix_hylophila.htm > Acesso em: